Tag Archives: Calor

Mais Calor, Churrasco de Gato e Torcidas Felizes….

7 nov
wesley

"Eu não pago passagem..."

Well….Hoje foi um dia MUITO, mas MUITO, MUITO quente.

Com tal aquecimento extremo percebi algumas coisas durante o dia.

O calor gera muitas coisas e muitas delas são bem ruins, tipo: Fadiga, náuseas, enxaquecas, desmaios e torcedores enfurecidos (Se os sintomas persistirem favor consultar um médico).

Estava eu, indo para o que chamo de “curso”; fui até o ponto e peguei o ônibus até a estação de metrô, chegando lá, fui subindo a rampa e no meio da rampa encontro meu queridos amigos que carinhosamente chamo de “miguxooooxxxxx” (ou não), nos xingamos como de costume e prosseguimos para mais um dia de aventura nas terras distantes de Copacabana, porém tivemos um “pequeno” probleminha. Ao chegarmos à estação em si, vimos o que eu chamaria de “CAC*TE AQUI TEM GENTE PRA CAR*LHO!!!”, e olhamos aquele mar de seres humanos curiosamente uniformizados com camisas brancas e cruzes de malta, naquele momento pensei: “Oh! Acho que terá algum jogo do time futebolístico nomeado de Vasco da Gama”. E não é que eu estava certo?!

Bem, prosseguimos nossa viagem. Um pouco mais tarde no mesmo calor infernal de 1h atrás chegamos ao nosso destino, caminhamos no sol escaldante até o prédio demarcado,chegando lá tudo resolveu ficar ainda mais divertido e animado, ao adentrar o que chamamos de “sala” o Ar-Condicionado simplesmente havia quebrado e para ficar ainda mais legal, foi só o da nossa querida sala, não é uma coisa supimpa amiguinhos???? Ficar em uma sala extremamente quente por 2h com seus glúteos já adormecendo e pessoas gritando “Não sinto minhas pernas!!!!”.

Passadas 2h no inferno com internet, fomos ao retorno de nossas residências, mas como o dia estava muito contente e pimpão, esquecemos de um “pequenino” detalhe. A antes citada torcida vascaína, um povo muito amigável, porém em grandes quantidades pode se tornar MUITO agressiva e fervorosa se assim posso dizer.

Eu e meus “miguxoooooooxxxxx” (não), fizemos um pequeno “macete” de ir pelo outro lado das escadas e adentrar pelo lado opostos do metrô para irmos sentados durante a viajem (Sim, é uma manobra muito complexa e leva-se anos para aprender). Depois de tal ato digno de um filme de Wesley Snipes, conseguimos sentar (uí), logo após entrou a torcida já citada algumas vezes, como podem imaginar, fizeram muito silêncio e rezaram missas dentro do vagão (Sim, e o mundo é feito de chocolate com granulado, e nos rios correm litros de vodka russa…).

Apesar de não participarmos da culminância de seus rituais de acasalamento (Sim, foi uma viajem muito estranha), aprendi muito com eles, como:

– Existem muito mais palavrões do que imaginamos, e eles podem ser gritados em voz alta sem nenhum tipo de repressão e por mais ódio em que use para expeli-los contra seus amigos eles nunca ficaram irritados, a menos que aja contato corporal tal como um esbarrão ou pisada no pé mesmo que acidental.

– Qualquer pessoa pode “puxar” a qualquer momento um hino de torcida, e quase todos irão começaram a cantar em seguida.

– Ritmo e afinação não importam muito quando se canta perto dos 100dB (decibéis).

– Juntamente com a alegre cantoria vem uma grande fúria e todos começam a bater com todas suas forças e tudo o que estiver perto inclusive, paredes, outdoors, tetos, animais e idosos.

– Gritar o nome de outro clube futebolístico além de considerado blasfêmia, é punido com amputação de seus órgãos “internos” e os mesmo serão vendidos como churrasco de gato em São João de Meriti.

Essas são alguma das pequenas coisas que aprendi com esse povo tão bacanudo que arrebenta a boca do balão com sua galerinha da pesada em altas aventuras.

E para finalizar por que já escrevi muito e minhas costas doem. Uma coisa que percebi nesse dia foi que apesar do calor nos deixar tão indispostos, também aproxima as pessoas, todos ficam muito mais relaxados (Se jooooooga biba WuW) por que não estão ligando para absolutamente nada , e assim ficam mais à-vontades para falar sobre muito mais coisas do que falariam normalmente ou em dias de frio em que ficamos menos ativos.

e….FIM! u-u”

 

Ps: Esse post é totalmente fictício (ou não)

Ps²: Blade também não paga pensão….

Ps³: Não, o post não é fictício (ou sim)

Calor, Pássaros e Cocada…..

4 nov
jnacional

Boa Noite!

Well……Hoje foi um dia comum como qualquer outro, de manhã fui para o “trampo” e depois voltei para minha humilde residência, mais a tarde retornei ao já citado antro de trabalho.

Exceto que. Hoje foi um dia MUITO mais MUITO quente, estava tão quente que padeiros não se sentiam ofendidos com piadas sobre “roscas” e “baguetes”; agora imagine trabalhar numa sala localizada dentro de um ambiente com veículos e telhas, e dentro da mesma sala não haver janelas, só uma misero ventilador de parede , mas isso não vem ao caso; o que mais me impressionou foi a tão alta temperatura, não sei se é o tal “aquecimento global” que todos falam por ai mas ninguém da a mínima, ou se Terra está mais perto do Sol.

Outro fato que me deixou embasbacado até o presente momento, foi que simplesmente sem motivo algum o passarinho do meu pai fugiu!!! (A o pinto do pai dele fugiu….HAHAHAH muito engraçado ¬¬”).

Simplesmente cheguei à tarde após o “trampo”, tudo muito bom tudo muito bem, quando meu progenitor se dirige a mim falando o seguinte: “Estranho, muito estranho, fui cuidar do passarinho, e quando fui ver a gaiola estava vazia….”. Em seguida fiz uma cara de como se tivesse visto um gato em chamas cantando canções natalinas.

Após tal cena dramática ficamos nos perguntando “Como tal coisa poderia ter acontecido…”; e assim fui averiguar o cárcere onde era mantida a ave, após olhar por alguns instantes para a “gaiola” percebi que haviam dois gravetinhos quebrados e remendados com um pedaço de fio e outro com um pedaço corda respectivamente, e no mesmo momento pensei “Oh! Ai está” com cara de William Bonner achando suas calças perdidas.

Mais ou menos 1h depois, chega minha progenitora, me dirijo a ela e digo “Oh! Não sabes o que acontecerdes, cara progenitora!” e a mesma retruca “Oh! O que acontecerdes meu caro, menino insolente?” indagou.

Contei para a mesma o ocorrido, que também fez cara de “Vendedor de cocada ao descobrir quem matou Lineu”; e lá se foi ela averiguar o cárcere, voltando disse que não tinha visto nada de errado na “gaiola”, fui lá e mostrei os fatos e o consenso geral foi: “Ah! Então foi isso….”. E ainda um pequeno detalhe o mesmo pedaço remendado estava virado para a janela o que deve ter facilitado em muito a fuga de nosso ex-morador.

Moral da “história”. Se algum dia tiverdes um animal com adrenalina em excesso em sua corrente sanguínea, procure certificar-se que o mesmo esteja em um ambiente sem  chances de fugas, tal como “remendos”. Fikdik

Ps: CALOR, CALOR, CALOR!!!!!!

Ps²: Dica: Vejam Family Guy…

Ps³: Boa Noite!

%d blogueiros gostam disto: